Twitter Facebook Instagram

Informações sobre o mercado online no Brasil

Notícias 09 de junho de 2020

Antes da pandemia do novo Coronavírus, o comércio eletrônico representava apenas 10% das vendas do comércio, aponta estudo da Boa Vista Serviços. Desde a sua decretação, foram abertas no Brasil 107 mil lojas virtuais, com 2 milhões de novos clientes, conforme dados da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm). Roupas, calçados, alimentos e serviços lideram o ranking de novos negócios. Dados iniciais da associação apontavam que o volume de consumidores para as vendas online chegariam a 3 milhões até o final de 2020, entretanto, somente durante o estado de isolamento social foram registrados 2 milhões de novos usuários no comércio eletrônico. O resultado foi um aumento de 40% nas vendas online no período. 

Os impactos causados pela pandemia refletem não apenas no crescimento da taxa de e-commerce, mas também na aceleração dos processos de transformação digital nas empresas. Dados da Deloitte apontam que, antes da crise, o percentual de empresas em preparação da infraestrutura para acesso remoto era de 53%. Após a decretação da pandemia, 96% das empresas afirmaram que adotaram ou adotarão tecnologias e digitalização, dentro do período de 100 dias. Trinta e oito por cento das empresas contavam com preparação e infraestrutura de navegação para novos padrões de tráfego. Agora, esse número subiu para 88%, em até 100 dias e 46% dos negócios mantinham integração tecnológica e de sistemas com fornecedores antes da pandemia, posteriormente, a taxa passou para 63%, também no mesmo prazo de 100 dias.

Parceiros

CACB SCPC SEBRAE Certisign