FACESP - Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo novas ideias
construindo caminhos
FACEP

Encontre sua AC

ACESSO PDO

Os 87 anos da participação da ACMC na Revolução Constitucionalista

Notícias 10 de julho de 2019

Esta terça-feira (09/07/2019) marca os 87 anos da participação da ACMC – Associação Comercial de Mogi das Cruzes na Revolução Constitucionalista de 32, movimento pela derrubada do governo Getúlio Vargas e a criação de uma nova constituição para o Brasil. A entidade mogiana serviu de base de apoio para os paulistas, dando importante destaque para a cidade no cenário nacional.

Quase 90 anos depois do movimento constitucionalista, a presidência da ACMC ressalta a importância da mobilização dos brasileiros para que o País retome o crescimento, a partir da aprovação de importantes reformas, dentre elas, a Previdenciária. “Não há espaço mais para divergências e jogo de interesse político. O Brasil precisa voltar a crescer e isso só será possível com a união de esforços de todos para que as coisas aconteçam, para que as reformas saiam do papel e as expectativas se concretizem”, disse o presidente da ACMC, Marco Zatsuga.

O dirigente lembra que em 32 a ACMC organizou a assistência às famílias dos combatentes paulistas, fornecendo alimentos e remédios doados pelos mogianos. A entidade serviu, ainda, como posto de coleta da campanha “Ouro para o Bem de São Paulo”, que arrecadou fundos para financiar a luta de São Paulo. 

Agora, a ACMC está novamente mobilizada em prol das reformas, exercendo seu papel de cobrar as autoridades e, principalmente, de promover ações que possibilitem o desenvolvimento da atividade empresarial. “A redução da burocracia e, principalmente, a reforma tributária são bandeiras que a ACMC traz desde 32 e defendidas diariamente”, ressaltou o presidente Zatsuga. 

Apesar de sair derrotado da Revolução de 32, São Paulo voltou a ser governado por paulistas e, dois anos depois, foi promulgada a nova constituição. “O movimento deixou uma importante lição, a de que não se pode desistir e é preciso se manter unidos”, concluiu o presidente da ACMC.

A Revolução de 32 teve três meses de luta armada e quatro mogianos morreram em combate -  Voluntário Fernando Pinheiro Franco, Cabo Diogo Oliver, José Antônio Benedito e Jair Fontes de Godoy.

 

Mara Flôres
Assessoria de Imprensa
Associação Comercial de Mogi das Cruzes
9.9433-2269

Parceiros CACB SCPC SEBRAE Certisign